Quanto vale uma medalha para você?

Para os atletas que treinam duro, esta pergunta é realmente pertinente. Para os que competem seja em qual o nível for, esta pergunta não tem resposta. Pelo menos é o que se sabe, quando perguntado e se confrontarmos atletas que venceram em qualquer competição, em qualquer uma das colocações do pódio, a resposta com certeza vem cheia de adjetivos e com muitos significados abstratos, indo muito além da materialidade ou do objeto desejado de fato. Existe muita coisa envolvida antes mesmo da luta, que torna o símbolo sagrado do êxito ainda mais importante que o próprio significado do Ouro, Prata ou Bronze utilizado hoje em dia para definir Campeão, Vice e terceiro lugar. A história das medalhas em competições e jogos olímpicos nem sempre contaram seu significado legitimo, tão pouco sua importância para quem às conquista. Nos jogos olímpicos da antiguidade apenas o campeão era agraciado com o instrumento da vitória; uma coroa de folhas de oliva, retiradas de uma arvore sagrada próxima ao templo de Zeus, em Olímpia. Nos primeiros jogos de Atenas, ainda em 1896, o campeão recebia a medalha de prata e os demais recebiam medalhas de bronze. Em Paris, no ano de 1900 as medalhas foram substituídas por pequenas placas e em cada tempo houve uma premiação diferenciada com troféus, coroas de flores e outros objetos também representando a premiação pelo feito em destaque. Ouro, Prata e Bronze foram padrões adotados a partir dos jogos olímpicos de verão, em 1904 e baseados na Mitologia Grega, o Ouro representa a era em que homens viviam entre Deuses. A prata representa a longevidade de uma era em que a juventude durava por uma centena de anos. O Bronze simboliza a era dos fortes, os resistentes, significa a era dos Heróis. Por isso reforço minha tese de que grandes campeões de verdade não saberiam explicar o valor de suas conquistas, nem mesmo com o cobiçado objeto em mãos, que pode ser representado pelo vil metal colorido, por uma simples plaqueta representativa ou uma coroa de galhos com folhas, não importa. Nunca o objeto, seja qual for, será maior que o objetivo. Existem os que suaram, choraram, sofreram ou sangraram, como também existem os que nem sequer moveram uma palha para merece – la, sim existem. Mas como todo esforço empenhado gira em torno do que foi feito e não do que foi dito, as palavras gravadas naquela sua medalhinha descascada com fita azul, que hoje em dia está fora de moda, significam tudo que você não sabe dizer: Honra ao Mérito. Para os que lutam antes da batalha e para os precisam vencer fora dos tatames primeiro, antes de qualquer luta, esse é o verdadeiro valor de uma medalha. Antes de fechar este texto, espero que você compreenda o valor da luta, da vitoria ou da derrota e saiba o preço do seu feito, pois como disse certa vez o grande general Tigranes à seu líder, em plena batalha dos Termópilas frente ao povo Grego:  “Pelos céus, que tipo de homens são esses contra os quais você nos trouxe para lutar? Homens que não competem por prêmios, mas pela honra…” e para os bravos, estes princípios devem ser eternos. Oss!

Comentários
Flavio de Jesus

Flavio de Jesus

Faixa Preta e Professor de Jiu-Jitsu. Formador de opinião. Ex praticante de Capoeira e amante das lutas. Pai de três, dedicado ao lar e as leituras. Esporte pode ser saúde, pode ser estilo de vida e pode ser tudo isso, depende do praticante.

%d blogueiros gostam disto: