Mais uma atleta Paraense precisa de ajuda para competir

Outra vez uma representante do esporte Paraense pede por ajuda para competir fora do estado. Até quando vamos padecer deste mal, não sabemos. O assunto já é bastante batido, mas infelizmente ainda não há uma resposta para que possamos amenizar o drama de atletas com potencial elevado como o de Quezia Nayara de Cristo Andrade Braga, uma verdadeira lutadora com nome e sobrenome, competidora de Jiu-Jitsu que é mais uma cria de projetos sociais e moradora de periferia da cidade, essa jovem iniciou no Jiu-Jitsu com 14 anos, revelada pelo professor Pedro Henrique em mais um daqueles projetos que lapidam crianças e jovens com talento nos bairros como a Terra-Firme.

Quezia, conhecida como Eiky enfrenta a rotina e as dificuldades de quem escolheu o esporte como opção de vida e para se manter no foco das competições enfrenta uma verdadeira maratona. A realidade da Jovem se confunde com a de milhares de outros lutadores sem oportunidades e que também dependem de ajuda para a pratica dos esportes na nossa capital, principalmente quem vive de lutas. Dividindo o seu tempo entre os treinos, os estudos e o trabalho com as vendas de brigadeiros, Quezia Nayara não mede esforços para manter seu sonho de ser campeã Brasileira vivo. Hoje atleta da academia Broca Fight Team (BFT), onde foi apresentada pelo seu amigo e parceiro de treinos Jarbas ao Faixa-preta Walter Broca, professor e competidor de muita experiência com inúmeros títulos nacionais e internacionais; em busca do crescimento dentro e fora dos tatames a jovem “Eiky” passou a fazer parte da equipe como bolsista aonde vem treinando forte, com uma historia que também se parece com a de muita gente de talento por aí, ela ainda precisa de materiais de treinos, kimonos, ajuda de fisioterapeutas, suplementos e etc. Fã de Bia Mesquita, Multicampeã Mundial pela IBJJF e pelo ADCC, a sua semelhança de vida se confunde com a de outra Bia. Bianca Basílio, eleita a melhor lutadora de 2017 pelo site FloGrappling.com e premio de melhor queda pelo mesmo site, Bia Basílio como é conhecida no BJJ, começou cedo na Arte Suave e assim como a Paraense, misturou as sapatilhas e as aulas de Balé Clássico com os tatames e kimonos de Jiu-Jitsu. Bianca Basílio acumula títulos e vitórias e no ano retrasado chegou a faixa-preta com uma carreira consolidada. E nós por aqui torcemos para que a nossa Paraense Jiujiteira e Bailarina tenha o mesmo êxito. Aos 18 anos a faixa-azul que acumula várias medalhas de diversas competições, varias vezes Campeã Estadual, entre outras medalhas conquistadas fora do estado e de varias federações Quezia ou Eiky, como você quiser chama-la, apesar de todas as carências não descuida da forma física e mantém os treinos em dia, com isso as chances de disputar o Campeonato Brasileiro em São Paulo e trazer medalhas é uma grande realidade que mais uma vez depende de alguma ajuda. Sabemos dos custos e das dificuldades encontradas para competir longe de casa e acredito que muita gente possa ajudar e torcer para que essa guerreira traga mais uma grande conquista para sua carreira e para o nosso estado que está cheio de campeões esperando por uma boa chance. Acredite e não desista dos seus objetivos, com certeza veremos você em mais um pódio. Oss!

Comentários
Flavio de Jesus

Flavio de Jesus

Faixa Preta e Professor de Jiu-Jitsu. Formador de opinião. Ex praticante de Capoeira e amante das lutas. Pai de três, dedicado ao lar e as leituras. Esporte pode ser saúde, pode ser estilo de vida e pode ser tudo isso, depende do praticante.

%d blogueiros gostam disto: