Bruno Malfacine estreou lembrando Royce Gracie

Fenomenal, eu diria se me perguntassem o que achei da estreia de Bruno Malfacine no Shooto Fight 74. O astro e multicampeão de Jiu – Jitsu não precisou de mais que 1m34s. do primeiro Round para finalizar com um belo Armlock da Guarda, o também estreante Romário Boaes. Ansioso pela estreia, por achar que seu Camp. foi um pouco curto, Malfacine acredita que sua maior dificuldade foi o fato de seu oponente também estar estreando, portando não havia como estuda-lo. Mas à julgar pelo resultado, os quatro meses e meio de treinamentos com Ricardo Libório e seus treinadores da ATT (American Top Team) foram muito eficientes e o resultado foi além do esperado. A apresentação do lutador da Alliance que acumula nove títulos Mundiais no Jiu – Jitsu, em minha opinião faz lembrar claramente o grande introdutor da Arte Suave no MMA, Royce Gracie, que ao finalizar seus oponentes de maneira rápida e sair praticamente ileso do Octógono elevava o nome e a tradição do esporte que hoje é referencia no mundo das lutas mistas. Bruno falou em entrevista sobre a emoção de voltar a lutar no Brasil e ao lado do amigo e companheiro de equipe, Rodolfo Vieira – que levou um pouco mais de tempo para finalizar Fagner Rackchall – “Lotamos o evento! Mudei para fora do Brasil em 2012, e desde 2011 não lutava aqui. Sou de Duque de Caxias, e lutar no Rio com minha família, meus amigos e a família do Rodolfo foi algo a mais. Foi uma estreia incrível, não podia ser melhor, estou feliz demais”, disse. Sobre a experiência de lutar MMA, Bruno também deu seu parecer ao site MMA4Ever:

“Estava pronto para trocar, mas o chão é a minha casa. Acho que nesse início tenho que me adaptar um pouco mais em pé, acho que até a minha terceira luta vou poder trocar um pouco mais e mostrar minha performance em pé… Claro que tenho que evoluir muito, tenho consciência disso, o mestre Ricardo (Libório) está do meu lado, a gente trabalha junto, e a tendência agora é só evoluir e quem sabe, um dia chegar ao UFC. Já quero voltar a lutar e pretendo um dia chegar ao cinturão do UFC. Demetrious Johnson que me aguarde (risos)”, brincou Bruno Malfacine. Já sobre a luta de Rodolfo, que fazia sua segunda luta dentro do MMA, a vitória veio por estrangulamento, no Katagatame e nos segundos finais. Fagner Rackchall é um bom Striker e apresentou um bom jogo, com boas defesa de quedas e um Muay Thai afiado dificultou bastante a performance de Rodolfo. Rackchall substituiu o Paraense Natalício Nascimento e foi um bom adversário para o pentacampeão de Jiu – Jitsu que acabou vencendo de forma emocionante, faltando 10 segundos para o fim, levantando a galera presente na recém-inaugurada academia Upper, no Rio de Janeiro. Novo CT da Nova União.

Comentários
Flavio de Jesus

Flavio de Jesus

Faixa Preta e Professor de Jiu-Jitsu. Formador de opinião. Ex praticante de Capoeira e amante das lutas. Pai de três, dedicado ao lar e as leituras. Esporte pode ser saúde, pode ser estilo de vida e pode ser tudo isso, depende do praticante.

%d blogueiros gostam disto: